ISSN 0798 1015

logo

Vol. 38 (Nº 06) Año 2017. Pág. 20

Gestão de ativos, modelo de maturidade e sustentabilidade: Uma análise bibliométrica

Asset management, maturity model and sustainability: A bibliometric analysis

Marcelo ARESE 1; Sérgio Luiz Braga FRANÇA 2; Noemi BONINA 3; Alexandre DENIZOT 4; Maria de Lurdes Costa DOMINGOS

Recibido: 22/08/16 • Aprobado: 12/09/2016


Conteúdo

1. Introdução

2. Metodologia

3. O processo de pesquisa em banco de dados e bibliometria

4. Conclusões

Referências


RESUMO:

Com o objetivo de identificar referencial teórico para o desenvolvimento de trabalho científico, foi realizado um processo de pesquisa a partir de 3 temáticas: gestão de ativos, modelo de maturidade e sustentabilidade. O processo identificou 12 artigos alinhados com a visão do tema do pesquisador, em 12 bancos de dados bibliográficos distintos, publicados entre 2006 e 2016. O presente trabalho também realiza uma análise bibliométrica onde identificou-se 1 periódico com maior participação, 1 autor de maior relevância e as 4 palavras-chave mais utilizadas.
Palavras-chave: Bibliometria, Modelo de maturidade, Gestão de ativos, Sustentabilidade

ABSTRACT:

In order to identify the theoretical framework for the development of scientific works, a research process was carried out from 3 themes: asset management, maturity model and sustainability. The process identified 12 articles aligned with the research’s perception, from 12 different bibliographic data bases, published between 2006 and 2016. This work also carries out a bibliometric analysis, which identified itself one journal with greater participation, 1 author of most relevance and the 4 most used keywords.
Keywords: Bibliometrics, Maturity model, Asset management, Sustainability

1. Introdução

Em 2004, o Instituto de Gestão de Ativos do Reino Unido e a Instituição Britânica de Padrões de Especificação (BSI) lançaram um documento de orientação para a gestão de ativos fixos nas indústrias, denominado PAS 55 (BSI, 2008). A ideia principal da iniciativa foi determinar pontos chave para o correto acompanhamento de equipamentos, a fim de que aspectos como planos estratégicos de produção, cuidados operacionais, manutenções corretiva, preventiva e preditiva e outros convergissem em um só ponto: a confiabilidade. Apesar de óbvia, a premissa não deixa de ser desafiadora: quanto mais confiável for o equipamento, mais a empresa poderá contar com ele para elevar sua produção (Moubray, 2000). Uma gestão de ativos eficaz e eficiente deve ser o principal negócio de qualquer organização com significativos ativos de infraestrutura. Não é surpreendente que diversos modelos foram desenvolvidos para apoiar as organizações na gestão de seus ativos e formas de medir sua maturidade. (Laue, Brown, Scherrer, & Keast, 2012).

Ao longo dos últimos vinte anos, tem havido um crescimento no número de modelos de maturidade desenvolvido por acadêmicos e profissionais na indústria. As ferramentas desenvolvidas têm sido usadas em um número de diversas aplicações em particular na área de desenvolvimento de software, TI, gestão da qualidade, gestão de negócios, gestão de projetos, gestão de operações e gestão do conhecimento (Kirkwood, Alinaghian, & Srai, 2011). A principal razão para a utilização de medidas de desempenho ou modelos de maturidade é que eles criam possibilidades para os gerentes ganharem conhecimento sobre como está a empresa no presente e para onde direcionar as ações futuras (Elg, 2007) garantindo a sustentabilidade da empresa.

Mais e mais empresas estão exigindo as habilidades para medir a sustentabilidade em seus produtos e processos. Essas habilidades, que são chamados desempenho de sustentabilidade, pode ajudar as empresas a atingir diversos objetivos, entre eles, eficiência energética, gestão de resíduos, conservação do meio ambiente e reciclagem de produtos (Zhang, Ouzrout, Bouras, & Savino, 2014). A implementação de uma estratégia de sustentabilidade pode impulsionar a inovação e proporcionar uma melhor relação custo-eficácia. Ao lado de conformidade com os requisitos mínimos, como a gestão da qualidade (ISO 9001) e gestão ambiental (ISO 14001), há uma crescente importância dos aspectos de saúde e segurança (BS OHSAS 18001), bem como os requisitos de gerenciamento de energia (ISO 50001) (Golinska & Kuebler, 2014).

Diante deste contexto, surge a motivação desta pesquisa, que é selecionar um conjunto de referências bibliográficas relevantes sobre gestão de ativos, modelo de maturidade e sustentabilidade para suportar o desenvolvimento de uma proposta de um modelo de maturidade para a gestão sustentável de ativos, tema da tese em desenvolvimento pelo autor principal dessa pesquisa. Essa pesquisa também pretende realizar uma análise bibliométrica dos artigos selecionados.

Em sequência a introdução, o é apresentada a metodologia utilizada, o processo de pesquisa em banco de dados, a análise bibliométrica dos artigos selecionados e suas referências e a conclusão do trabalho. Por último são listadas as referências.

2. Metodologia

O método utilizado neste estudo foi a bibliometria, que consiste numa técnica para medição dos índices de produção e divulgação do conhecimento científico, o qual permite obter informações em uma área acadêmica, e serve, entre outras funções, para demonstrar características relacionadas à produção científica desta área (Oliveira, R. R.; Boldorini, P. ; Martins, H.; Dias, 2016).  Esse estudo se classifica como pesquisa-ação, uma vez que o pesquisador está envolvido de modo participativo com o objeto de pesquisa (Farias Filho & Arruda Filho, 2012). O instrumento utilizado é uma adaptação do processo ProKnow-C (Knowledge Development Process – Constructivist) apresentado no artigo “Processo Estruturado de Revisão da Literatura e Análise Bibliométrica sobre Avaliação de Desempenho de Processos de Implementação de Eficiência Energética” de Ensslin et al. (2014).

3. O processo de pesquisa em banco de dados e bibliometria

A seção Processo de Pesquisa em Banco de Dados e Bibliometria é dividida em duas subseções: (a) procedimentos para seleção da literatura (Portfólio Bibliográfico) com reconhecimento científico, alinhado com a visão do pesquisador sobre o tema e suas delimitações; e (b) procedimentos para análise bibliométrica dos artigos selecionados e suas referências (Chaves, Ensslin, & Ensslin, 2012).

3.1 Seleção de artigos científicos

O processo para seleção da literatura (Portfólio Bibliográfico) adaptado do processo ProKnow-C, alinhado com a visão do pesquisador sobre o tema e suas delimitações, compor-se-á de 19 atividades divididas em 4 etapas conforme exibido na Figura 1.

Figura 1: Processo de bibliometria proposto

Fonte: Adaptado de (Chaves et al., 2012).

3.1.1 Definição do tema de pesquisa

A primeira atividade é a definição do tema de pesquisa. O tema central desse trabalho, conforme discutido no item 1 desse artigo, é uma “proposta de um modelo de maturidade para a gestão sustentável de ativos”.

3.1.2 Definição das palavras-chaves e suas combinações

Tomando como base o tema central da tese em desenvolvimento (proposta de um modelo de maturidade para a gestão sustentável de ativos), foram definidos 4 eixos de pesquisa, cada um com sua palavra-chave principal em inglês: Maturity (eixo 1), Model (eixo 2), a expressão “Asset Management” (eixo 3) e Sustainability (eixo 4). Cada um desses eixos contém um conjunto de palavras-chave secundárias, conforma apresentado no quadro 1.

Quadro 1. Eixos da pesquisa e respectivas palavras-chave

Fonte: Os próprios autores

A partir da definição das palavras-chave, foi desenvolvido o algoritmo a ser inserido nos campos de pesquisa dos bancos de dados bibliográficos, conforme apresentado no quadro 2, envolvendo os 4 eixos de pesquisa.

Quadro 2. Algoritmo usado para a pesquisa

Fonte: Os próprios autores

Não é foco desse trabalho consultar combinações entre 3 eixos ou menos. Mesmo assim foi feita uma pesquisa em 3 bases de dados reconhecidas (tabela 1) para conhecimento do volume de trabalho nas diversas áreas combinadas.

Tabela 1. Resultados da pesquisa com variadas combinações dos eixos

Fonte: Os próprios autores

3.1.3 Pesquisa de artigos nas bases de dados escolhidas

Para o êxito da bibliometria, é importante a escolha bancos de dados bibliográficos com relevante utilização por pesquisadores dos temas abordados (Oliveira, Lacerda, Fiates, & Ensslin, 2016). Os bancos de selecionados para essa pesquisa foram propostos por (Gray, 2012), tendo o autor não utilizado os bancos PubMed e EMBASE, por serem da área de medicina. O período de busca se limitou aos últimos 10 anos (2006 a 2016). Foram obtidos um total de 203 artigos para o banco de artigos bruto. A tabela 2 apresenta os bancos de dados bibliográficos utilizados, o endereço na internet da tela onde são acessados os campos de busca e o total de artigos obtidos em cada banco.

Tabela 2. Total de artigos por banco de dados pesquisados

Fonte: Dados da pesquisa, 2016

 A tabela 3 estratifica os artigos obtidos por ano de publicação. Observa-se um aumento de publicações a partir de 2011.

Tabela 3. Total de artigos por ano

Fonte: Dados da pesquisa, 2016

3.1.4 Exportação para Excel, cada base em uma pasta e criação de uma consolidada

Os dados obtidos em cada base de dados foram exportados para um arquivo de Excel, cada um em uma pasta, conforma figura. Todos os dados são então consolidados em uma só pasta para dar sequência ao processo.

Figura 2. Pastas do Excel

Fonte: Os próprios autores

3.1.5 Verificação de redundância

Nessa etapa verificou-se a existência de registros duplicados no banco de artigos bruto, utilizando o campo título do documento como base para a verificação. Foram identificados 72 documentos repetidos, selecionando então 131 documentos para a próxima etapa (figura 1). A tabela 4 apresenta a quantidade de registros originais e duplicados, por banco de dados bibliográficos consultados.

Tabela 4. Redundância nos bancos de pesquisa

Fonte: Dados da pesquisa, 2016

 

3.1.6 Leitura do título dos artigos

Foi feita a leitura dos títulos dos 131 artigos não duplicados. Desse total foram selecionados 54 artigos onde o título estava alinhado com os eixos da pesquisa. Para registro dessa informação foi incluída uma coluna na pasta do Excel “BD CONSOLIDADO FINAL” onde é selecionado, para cada artigo, a opção “Alinhado” ou “Não alinhado”. Também é avaliado o grau de alinhamento, com valores: 3 para alto grau de alinhamento, 2 para médio grau de alinhamento e 1 para baixo grau de alinhamento. O critério adotado para definir o grau de alinhamento foi a percepção dos autores. No cabeçalho é informado a data em que a atividade foi realizada (figura 3). Foram selecionados 54 artigos nessa etapa.

Figura 3. Planilha de registros

Fonte: Os próprios autores

3.1.7 Consulta do número de citações no Google Scholar

Foi utilizado o número de citações no meio acadêmico para analisar o reconhecimento científico dos 54 artigos que possuíam título alinhado. Para realizar essa análise, foram consultadas na ferramenta de pesquisa on line Google Scholar (https://scholar.google.com.br/) em 22/06/2016 o número de citações de cada um dos 54 artigos do Portfólio Bibliográfico (L. Ensslin, Ensslin, & Souza, 2014). Mais uma coluna foi acrescentada na pasta do Excel “BD CONSOLIDADO FINAL”, para registro das citações (figura4).

Figura 4. Planilha de registros com número de citações

Fonte: Os próprios autores

3.1.8 Aplicar Grau de Alinhamento vs Número de citações

Para a seleção dos artigos para aproxima etapa, foi elaborado, primeiramente, uma tabela dinâmica selecionando os artigos agrupados e ordenados de forma decrescente pelo grau de alinhamento e depois pelo número de citações, conforme apresentado na tabela 5.

Tabela 5. Tabela dinâmica Grau de Alinhamento vs Número de citações

Fonte: Os próprios autores

Foi adotado o seguinte critério para seleção dos artigos para a próxima fase: todos os artigos com grau de alinhamento 3 somados aos mais citados com grau de alinhamento 2. Tomando por base o princípio de Pareto que afirma que, em muitas situações, 80% das consequências de um acontecimento são devido a 20% de suas causas, foi arbitrado o valor de 80% (Oliveira et al., 2016) como o ponto de corte do total de citações encontrado para os artigos com grau de alinhamento 2. Os artigos com grau de alinhamento 1 são descartados.

Tabela 6. Aplicação do método de Pareto nas citações

Fonte: Os próprios autores

A tabela 6 apresenta o cálculo para seleção dos artigos com grau de alinhamento 2. Os 5 artigos mais citados respondem por 76,32 % das citações e são selecionados para aproxima fase, junto com os artigos de grau de alinhamento3, já destacados na tabela 6, chegando a um total de 21 artigos selecionados para a próxima etapa.

3.1.9 Leitura dos resumos

A próxima etapa do processo é a leitura dos resumos dos 21 artigos para confirmar se realmente estão alinhados com os tópicos desejados. Com a conclusão desta atividade, 9 documentos foram considerados como relevantes para os eixos de pesquisa definidos como objeto de análise. Mais uma coluna foi acrescentada na pasta do Excel “BD CONSOLIDADO FINAL”, para registro das leituras dos resumos onde é selecionado, para cada artigo, a opção “Alinhado” ou “Não alinhado”.

Figura 5. Planilha de registros com alinhamento do resumo

Fonte: Os próprios autores

3.1.10 Leitura dos artigos

Após a leitura dos 9 artigos selecionados, somente 6 deles se enquadraram nos eixos da pesquisa. Sete dos 9 artigos estavam disponíveis para download gratuitamente. Os outros 2 foram comprados, somando um total de U$ 50,00. Ao fim da Etapa 1 temos 6 artigos selecionados para compor o Portfólio Bibliográfico (PB) apresentado no quadro 3.

Quadro 3. Artigos do PB

Fonte: Os próprios autores

3.1.11 Seleção dos artigos não alinhados, leitura dos resumos e leitura dos artigos

Etapa 2 do processo de pesquisa. Para essa análise foi feita uma busca na planilha do Excel “BD CONSOLIDADO FINAL” os artigos não alinhados (banco de artigos brutos não redundantes) que tinham como autores um dos autores dos 6 artigos alinhados. Apenas um único artigo foi identificado. Após a leitura de seu resumo e do artigo completo, ele foi classificado como NÃO ALINHADO.

3.1.12 Pesquisa de livros sobre o tema, congressos e documentos de associações profissionais e consultorias especializadas

Terceira etapa do processo de pesquisa. Livrarias na internet se apresentam como um importante complemento a catálogos de bibliotecas por oferecer descrições detalhadas de livros incluindo seu conteúdo. As associações profissionais relacionadas a área da pesquisa em questão também se mostram uma rica fonte de consulta, tendo algumas suas próprias publicações e realizam congressos e seminários (Gray, 2012). Foi aplicada a sentença “Maturity Model for Sustainable Asset Management” no campo de busca da amazon.com, obtendo 8 propostas de livros, sendo 1 escolhido para compra pelos autores (figura 6).

Figura 6. Resultado da busca por livros do tema na amazon.com

Fonte: Os próprios autores

Ao fim da Etapa 3 temos 1 livro selecionado para compor o Portfólio Bibliográfico (PB), pelo seu grande alinhamento com o tema da pesquisa.

3.1.13 Etapa 4 - Pesquisa por título nas referências dos artigos, verificação de redundância, leitura dos resumos, leitura dos artigos e exportação do PB para o Mendeley.

A partir da seleção dos 6 artigos na fase 1, foi possível executar um teste de representatividade do portfólio com o objetivo de identificar se há algum outro artigo relevante que precisa ser acrescentado. O teste consiste em em criar um banco das referências do portfólio bibliográfico e aplicar nele os mesmos critérios utilizados fase 1 deste trabalho: remoção de duplicidades e documentos diferentes de artigos de periódicos, bem como desconsiderar publicações anteriores a 2006 (Oliveira et al., 2016).

Como após a verificação de alinhamento pelo título em um total de 155 referências somente 7 foram selecionadas, realizou-se a leitura dos resumos sem considerar o grau de alinhamento e nem o número de citações. Após a leitura integral dos artigos, 6 foram selecionados para compor o portfólio bibliográfico final (quadro 4). O total de documentos selecionados ao longo do processo de pesquisa em banco de dados bibliográficos (6 artigos na fase 1, 1 livro na fase 3 e mais 6 artigos na fase 4) são exportados para o Mendeley, programa gerenciador de referências bibliográficas (www.mendeley.com).

Quadro 4. Portfólio Bibliográfico

Fonte: Os próprios autores

3.2. Análise bibliométrica

A Análise Bibliométrica neste estudo tem o objetivo de realizar um estudo estatístico para a melhor compreensão sobre a relevância de quem são os principais periódicos, artigos, autores e palavras-chave. Esses atributos serão avaliados dentro do Portfólio Bibliográfico, das referências do Portfólio Bibliográfico (somente de artigos científicos publicados em periódicos) e dos artigos em comum no Portfólio e referências do Portfólio.

3.2.1 Periódicos Relevantes

O gráfico da figura 7 compara os tipos de arquivos obtidos antes e depois do processo de pesquisa. Observa-se que na fase inicial era predominante artigos de periódicos (75%). Já no portfólio bibliográfico predominou artigos de congressos (54%).

Figura 7. Tipos de arquivo da pesquisa

Fonte: Dados da pesquisa, 2016

O periódico de destaque nessa pesquisa foi o Journal of Cleaner Production, aparecendo uma vez no portfólio bibliográfico e 8 vezes nas referências (tabela 6).

Tabela 6. Frequência dos periódicos do PB

Fonte: Dados da pesquisa, 2016

3.2.2 Autores relevantes

Nesta seção é feita uma análise quanto ao número de vezes em que os autores aparecem nas referências do portfólio bibliográfico, apresentada na tabela 7. Pode-se concluir que o autor mais relevante é Brown, K. com 9 citações.

Tabela 7. Autores do PB mais citados nas referências

Fonte: Dados da pesquisa, 2016

3.2.3 Artigos relevantes

Será avaliado (1) o número de citações dos artigos do Portfólio Bibliográfico no Google Acadêmico e (2) o número de vezes em que um autor é citado nas referências do Portfólio. O primeiro quadrante consta os artigos que se destacam no (1) e (2). No segundo quadrante se encontram os artigos relevantes somente em (2). O terceiro quadrante é aquele cujos artigos não possuem destaque nem em (1) e nem em (2). O quarto quadrante é aquele em que os artigos são relevantes no que diz respeito a (1).

Como resultado temos 2 artigos de destaque, que são  (S. C. Feng & Joung, 2009) e (S. Feng, Joung, & Li, 2010);

Feng, S. C., & Joung, C. B. (2009). An Overview of a Proposed Measurement Infrastructure for Sustainable Manufacturing. In Proceedings of the 7th Global Conference on Sustainable Manufacturing. Chennai - India: CIRP.

Feng, S., Joung, C., & Li, G. (2010). Development overview of sustainable manufacturing metrics. Proceedings of the 17th CIRP International Conference on Life Cycle Engineering, 6–12.

Como artigo realizado por autor de destaque: (Laue et al., 2012)

 Laue, M., Brown, K., Scherrer, P., & Keast, R. (2012). Integrated strategic asset management: Frameworks and dimensions. In Proceedings of the Third International Engineering Systems Symposium CESUN. The Netherlands: Delft University of Technology. http://doi.org/10.1007/978-3-319-02493-6_6

Nenhum artigo foi classificado no quadrante referente a artigos de destaque realizado por autores de destaque (vide tabela 8).

Tabela 8. Relação entre citação dos artigos do PB e autores citados

Fonte: Dados da pesquisa, 2016 -  adaptado de (S. R. Ensslin et al., 2014)

3.2.4 Palavras-chave relevantes

Na tabela 9 observa-se a correlação entre as palavras-chave dos artigos do portfólio e as utilizadas no algoritmo de pesquisa. Sustainability foi a mais relacionada (5 vezes), seguida por Maturity (4 vezes).

Tabela 9. Correlação entre as palavras-chave dos artigos do portfólio e as utilizadas no algoritmo de pesquisa

Fonte: Dados da pesquisa, 2016

A tabela 10 apresenta a quantidade de vezes que cada palavra-chave dos eixos da pesquisa aparece no título, no resumo e nas palavras-chave dos artigos. As palavras-chave principais de cada eixo foram as que mais se destacaram: Maturity (14 vezes), Model ( 24 vezes), Asset Management (34 vezes) e Sustainability (29 vezes).

Tabela 10. Palavras-chave relevantes

Fonte: Dados da pesquisa, 2016

3.2.5 Áreas associadas a pesquisa

A tabela 11 apresenta os artigos do portfólio bibliográfico da Fase 1 e suas respectivas áreas conforme classificado no banco de dados bibliográfico SCOPUS. A área de engenharia se destaca relacionada em 5 de 6 artigos, seguido pela área de gestão de negócios em 3 de 6 artigos. Ciências sociais, ciências ambientais, energia e ciências de decisão aparecem em 1 artigo cada.

Tabela 11. Artigos do portfólio bibliográfico da Fase 1e suas respectivas áreas

Fonte: Dados da pesquisa, 2016

4. Conclusões

O processo de pesquisa permitiu selecionar 6 artigos na primeira etapa em banco de dados, e mais 6 artigos oriundos de suas referências alinhados com os eixos da pesquisa. Na pesquisa por livros foi selecionado 1 com alto grau de aderência ao tema da pesquisa.

Na análise bibliométrica dos artigos selecionados o periódico de destaque foi o Journal of Cleaner Production, aparecendo uma vez no portfólio bibliográfico e 8 vezes nas referências. Quanto a identificação dos autores, o mais relevante foi Brown, K. com 9 citações, seguidos por Feng, S.C., Golinska, P., Keast, R. e Zhang, H. cada um com 4 citações no referencial do PB. As palavras-chave principais de cada eixo foram as que mais se destacaram: Maturity (14 vezes), Model (24 vezes), Asset Management (34 vezes) e Sustainability (29 vezes). Também foi destacado o trabalho de Feng, S. C. e  Joung, C. B. em 2 artigos de destaque, um com 59 e outro com 54 citações.

Em linhas gerais, o estudo evidenciou o ineditismo da tese em desenvolvimento e a interdisciplinaridade do tema, com artigos classificados pelo banco de dados bibliográfico Scopus em diversas áreas do conhecimento.

Como delimitações na pesquisa, o período de tempo analisado se restringiu aos últimos 11 anos (de 2006 a 2016) e o critério para avaliar o alinhamento e grau de alinhamento foi a percepção dos autores.

Referências

 BSI. (2008). PAS 55-1:2008 Asset Management Part 1: Specification for the optimized management of physical assets.

Chaves, L., Ensslin, L., & Ensslin, S. (2012). Mapeamento do Tema Gestão do Apoio à Decisão Quando Analisado sob a Ótica de seus Resultados. Sistemas & Gestão, 7(3), 336–348. http://doi.org/10.7177/sg.2012.v7.n3.a4

Elg, M. (2007). The process of constructing performance measurement. The TQM Magazine, 19(3), 217 – 228.

Ensslin, L., Ensslin, S. R., & Souza, M. V. de. (2014). Gerenciamento de Portfólio de Produtos na Indústria: O Estado da Arte. Produção Online, 14(3), 790–821.

Ensslin, S. R., Ensslin, L., Yamakawa, E. K., Nagaoka, M. da P. T., Aoki, A. R., & Siebert, L. C. (2014). Processo Estruturado de Revisão da Literatura e Análise Bibliométrica Sobre Avaliação de Desempenho de Processos de Implementação de Eficiência Energética. Revistat Brasileira de Energia, 20 n.1, 21–50.

Farias Filho, M., & Arruda Filho, E. (2012). Planejamento da Pesquisa Científica. São Paulo: Atlas.

Feng, S. C., & Joung, C. B. (2009). An Overview of a Proposed Measurement Infrastructure for Sustainable Manufacturing. In Proceedings of the 7th Global Conference on Sustainable Manufacturing. Chennai - India: CIRP.

Feng, S., Joung, C., & Li, G. (2010). Development overview of sustainable manufacturing metrics. Proceedings of the 17th CIRP International Conference on Life Cycle Engineering, 6–12.

Golinska, P., Kosacka, M., Mierzwiak, R., & Werner-Lewandowska, K. (2014). Grey Decision Making as a tool for the classification of the sustainability level of remanufacturing companies. Journal of Cleaner Production, 105, 28–40. http://doi.org/10.1016/j.jclepro.2014.11.040

Golinska, P., & Kuebler, F. (2014). The method for assessment of the sustainability maturity in remanufacturing companies. Procedia CIRP, 15, 201–206. http://doi.org/10.1016/j.procir.2014.06.018

Gray, D. E. (2012). Pesquisa no Mundo Real. Porto Alegre: Penso.

ISO-IEC. (1998). ISO-IEC TR 15504-1: 1998 (Vol. 1998). Switzerland.

Kirkwood, D. A., Alinaghian, L. S., & Srai, J. S. (2011). A Maturity Model for the Strategic Design of Sustainable Supply Networks. In POMS 22nd Annual Conference. Reno, Nevada.

Laue, M., Brown, K., Scherrer, P., & Keast, R. (2012). Integrated strategic asset management: Frameworks and dimensions. In Proceedings of the Third International Engineering Systems Symposium CESUN. The Netherlands: Delft University of Technology. http://doi.org/10.1007/978-3-319-02493-6_6

Lutchman, R. (2006). Sustainable Asset Management. Lancaster: DEStech Publications.

Maheshwari, A. (2006). Development of a strategic asset management framework. In Proceedings of the 1st World Congress on Engineering Asset Management, WCEAM 2006 (p. 1). Australia: Springer.

Moubray, J. (2000). Reliability-centred maintenance. (B. Ltd, Ed.). Lutterworth: Aladon Ltd.

Nateque, M., Robyn, L., Kerry, A., Bang, W., Eds, J., Mahmood, M. N., … Wiewiora, A. (2012). Towards an integrated maturity model of asset management capabilities. In Proceedings of the 7th World Congress on Engineering Asset Manage- ment,. Daejeon, Korea: Springer London.

Oliveira, L. V. de, Lacerda, R. T. de O., Fiates, G. G. S., & Ensslin, S. R. (2016). Avaliação de Desempenho e Gerenciamento de Projetos : Uma Análise Bibliométrica. Revista de Gestão E Projetos, 7(1), 95–113.

Oliveira, R. R.; Boldorini, P. ; Martins, H.; Dias, A. (2016). Gerenciamento de Projetos: Comparativo Bibliométrico dos Anais de Congressos Brasileiros na Área de Administração e Engenharia de Produção. Revista de Gestão E Projetos - GeP, 7(1), 15–31. http://doi.org/10.5585/gep.v7i1.377

Rayner, R. (2010). Incorporating climate change within asset management. In Asset management – Whole-life management of physical assets. London: ICE Publishing.

Van Looy, A., de Backer, M., & Poels, G. (2012). Towards a Decision Tool for Choosing a Business Process. In Proceedings of the 7th International Conference on Design Science Research in Information Systems: Advances in Theory and Practice (pp. 78–87). Las Vegas: Springer. http://doi.org/10.1007/978-3-642-29863-9_7

Vavrova, M., & Albitres, C. M. C. (2014). Environmental-related performance measures framework for sustainable asset management practices. In Sustainability, Eco-efficiency and Conservation in Transportation Infrastructure Asset Management. Proceedings of the 3rd International Conference on Tranportation Infrastructure, ICTI 2014 (pp. 561–567). London: Taylor & Francis Group.

Zhang, H., Ouzrout, Y., Bouras, A., & Savino, M. M. (2014). Sustainability consideration within product lifecycle management through maturity models analysis. International Journal of Services and Operations Management, 19(2), 151–171. http://doi.org/10.1504/IJSOM.2014.065330


1. Doutorando em Sistema de Gestão Sustentáveis pela Universidade Federal Fluminense. Email: marceloarese@hotmail.com

2. Professor Doutor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal Fluminense. Email: sfranca@latec.uff.br

3. Doutorando em Sistema de Gestão Sustentáveis pela Universidade Federal Fluminense. Email: noemi_alice@yahoo.com.br

4. Doutorando em Sistema de Gestão Sustentáveis pela Universidade Federal Fluminense. Email: alexandre.denizot@gmail.com


Revista ESPACIOS. ISSN 0798 1015
Vol. 38 (Nº 06) Año 2017

[Índice]

[En caso de encontrar algún error en este website favor enviar email a webmaster]

©2017. revistaESPACIOS.com • Derechos Reservados